O poder dos Mandalas

Mandala significa círculo em palavra sânscrito. Mandala também possui outros significados, como círculo mágico ou concentração de energia, e universalmente a mandala é o símbolo da integração e da harmonia.

A mandala é uma espécie de yantra (instrumento, meio, emblema) que em diversas línguas da península indostânica significa círculo. Em rigor, mandalas são diagramas geométricos rituais: alguns deles correspondem concretamente a determinado atributo divino e outros são a manifestação de certa forma de encantamento.

A sua antiguidade remonta pelo menos ao século VIII a.C. e são usadas como instrumentos de concentração e para atingir estados superiores de meditação (sobretudo no Tibete e no budismo japonês).

As cores na mandala

As cores usadas nas mandalas estão relacionadas com a psicologia das cores, corrente que afirma que cada cor é capaz de evocar determinadas sensações. É por isso que a mandala pode ser usada na decoração como forma de trazer equilíbrio ao ambiente e até em psicoterapia.

No meu artesanato as cores representam cada um dos sete chakras, transferindo toda a sua energia vital, força e cura através da mandala.

Desta forma, a pessoa trabalha expansão ou a liberação desse chakra.
O trabalho é interno e particular, de modo que cada pessoa vai se sentir identificada com uma cor diferente e de acordo com o momento de vida pela qual está passando, vai escolher a sua mandala particular.
  • Chakra raíz representado pela cor vermelha
  • Chakra do umbigo representado pela cor laranja
  • Chakra solar representado pela cor amarela
  • Chakra do coração representado pela cor verde
  • Chakra da garganta representado pela cor azul
  • Chakra do terceiro olho representado pela cor indigo
  • Chakra da cabeça representado pela cor violeta